English EN Portuguese PT Spanish ES

Roteiro Guatemala: Dicas do que fazer

A Guatemala não é um destino turístico muito cobiçado, mas deveria! O País tem lugares incríveis que vão desde cachoeiras e cidades históricas, até ruínas maias.

Provavelmente sua porta de entrada será a Cidade da Guatemala(Guate),uma cidade enorme com um trânsito péssimo, algumas áreas nobres e fama de perigosa. Eu particularmente não explorei muito lá, mas não me pareceu uma cidade tão ruim quanto a fama.

Meu roteiro se resumiu assim:

Dia 1-Antigua

Fui para Antígua de ônibus com a empresa Hedmann Alas, vindo de La Ceiba em Honduras(quem quiser combinar com as ilhas Roatan e Utila vale muito a pena).

Cheguei a noite e não deu para fazer muita coisa, a não ser andar pelas ruas da cidade que pareceram bem seguras, limpas e organizadas. Gostei bastante logo de cara.

Na Guatemala a melhor cotação para trocar dólar é no Banco industrial(BI). Na minha viagem em fevereiro 2018 1U$ valia 7,37 GTQ. Normalmente nos hostels e pousadas trocam a 6,50 GTQ, não vale a pena! Para sacar dinheiro, cada saque terá uma taxa de 31GTQ( em média 4 U$).

Dia 2-Antigua

Nesse dia resolvi fazer o passeio do vulcão Pacaya que pode ser feito vários horários. Eu escolhi ir de tarde às 14h com retorno às 20h por 100GTQ(14 U$) e mais 50GTQ que tive que pagar lá na entrada do parque.

Apesar de ter visto muitos vulcões em outros países como a Nicarágua por exemplo, curti o passeio.Um mini ônibus busca a gente e passa por todos os hoteis. Aproximadamente 16h você chega na base do parque. É uma escalada rápida e não muito difícil de aproximadamente 1 hora e 30 minutos, parando para algumas fotos.

Chegando na cratera do vulcão não tem muito o que ver. Os guias mostram que dá para esquentar marshmallow e dão um pra cada pessoa. Eu não consegui esquentar o meu kkkk, mas ele mostra muitas partes realmente quentes do vulcão. Na volta ainda vimos o pôr do sol.

Não é muito frio, mas é aconselhável levar um casaco. Na Guatemala, diferente dos outros países da America central FAZ FRIO. Nessa época em Antigua chegava a 13 graus a temperatura a noite, mas de dia fazia calor de 26 graus por volta de 12h.


Dia 3-Antigua

Esse dia poderia até fazer outros passeios disponíveis, como a escalada no vulcão de Água e de fogo(que requer uma pernoite lá em cima e é muito frio), mas decidi ficar girando a cidade mesmo, já que é bem interessante. Tem almoços executivos por lá que custam 25 GTQ(4 U$) com suco e sopa, mas a maioria é fritura. Eles comem tudo frito, até o pollo a la plancha que teoricamente é frango grelhado, é feito no óleo.

A comida da Guatemala é boa! Tem muito feijão, inclusive no café da manhã. Tem também muita banana frita e outras mil frituras. Eu fiquei enjoado da comida, mas tem muita coisa boa também.





Dia 4-Antigua-Panajachel

Peguei o Shuttle de Antigua a Panajachel que no domingo sai 7h por 90 GTQ(13U$D). Comprei em uma agência mesmo! Cheguei por volta das 10:30h. O ruim desse transfer é que era uma van pequena e os bancos não tinham apoio para cabeça.

Fiquei hospedado no Hotel Victoria, que é simples, mas gostei! É um pouco afastado do centro, mas Pana não é muito grande! Dá para fazer tudo a pé, e se precisar tem tuk tuk a 5 GTQ.

Girei bastante a cidade e é muito bom ver a vibe do local! De manhã as fotos ficam melhores porque a tarde os vulcões ficaram mais encobertos. Tem várias agências na cidade vendendo os city tours pelas cidades do lago e alguns passeios de escaladas para quem tiver afim.


Dia 5-Panajachel

Peguei o barco público a Santiago por 25GTQ. Algumas pessoas falam dos barcos privados, mas se você for onde estão concentrados todos os barcos a maioria é público. Eles ficam gritando os nomes das cidades! É só entrar e pagar, mas espera um tempo até lotar(e ás vezes literalmente lotam, não tendo nem lugar e povo vai até em pé).

Em Santiago assim que cheguei já tinha um monte de gente oferecendo tour de tuk tuk na faixa de 80 a 100 GTQ, mas eu estava afim de andar e foi o que fiz! Fui caminhando pela cidade, tirando fotos.Fui até a beira do lago onde as mulheres lavam roupas, almocei e já voltei a Pana.
A noite em Pana não tem muito o que fazer a não ser caminhar pela Rua Santander que tem muitos restaurantes.






Dia 6-Panajachel-San Pedro La Laguna

Fiquei duas noites em San Pedro de La Laguna, mas como não queria ficar carregando minhas coisas para lá e para cá, deixei no hotel em Pana já que eu iria voltar para lá.

O barco para San Pedro também custa 25GTQ e dependendo tem uns que param em várias cidades até chegar. Isso faz o trajeto ser mais demorado.  A tarde o mar fica um pouco mais agitado! Eu fui me molhando muito com as ondas, então tem que proteger celulares e eletrônicos.

Em San Pedro, assim como San Marcos, tem vários spas com hot tubs e massagens. Achei as massagens um pouco caras(em torno de 30USD por 1 hora),  mas consegui fazer uma muito boa com pedras quentes a 21USD.

San Pedro tem fama de cidade festeira, mas sinceramente não achei tanto. É uma cidade pequena também! Tem alguns bares e hostels, talvez por isso a fama.Você encontrará muitos mochileiros e hippies por lá. É sensacional!!!!

Dia 7-San Pedro la Laguna-San Marcos

Por 10 GTQ dá para pegar o barco público saindo de San Pedro, que em pouco tempo te deixa em San Marcos.

É praticamente uma rua só a cidade! E tudo muito rústico! Eu fui direto para o famoso trampolim que tem no chamado Cerro Tzankujil. Cobram 15GTQ para estrangeiros a entrada e lá dentro você pode nadar no lago(fevereiro estava um pouco fria) e ficar pulando no trampolim. Além disso, tem um mirante que dá para ver os 3 vulcões e tirar algumas fotos.

Para almoçar tem muitas opções veganas também. A comida na Guatemala gira em tono de 25 a 40GTQ os pratos mais simples, e alguns mais sofisticados podem chegar a 70GTQ ou mais.



Dia 8-San Pedro la laguna-Panajachel

Tive que pegar o barco às 6:30h. Esse era o primeiro para Pana! Cheguei por volta das 7h lá ,tomei café e 8h voltei para meu hotel onde estavam as malas.  Marquei o transfer para Semuc Champey saindo desse hotel.

Comprei o transfer Pana-Lanquin (base para Semuc Champey) na agência Mario Tours por 200 GTQ. Na Guatemala compensa comprar os transfers tudo separados e sempre no local que você está! Isso porque transporte lá é confuso!

Vai ter algumas agências em Antigua vendendo Semuc Champey junto com Flores e tudo incluído mas fica 200 USD tudo e acho que não compensa!

Para quem quiser economizar tem os Chicken Bus que fazem alguns trajetos, mas eu não arrisquei! Preferi os shuttels dos hotéis mesmo!

Esse transfer de Pana a Lanquin dizia que saía as 8h, mas demoraram muito a me pegar no hotel e ainda enrolaram até pegar todos. Então saímos as 9:30h praticamente!

Na Guatemala não respeitam horários.Disseram que eu chegaria as 17:30h em Lanquin, mas cheguei as 20h.Toda agência que eu ia me diziam um horário diferente de chegada!Teve uma que teve a cara de pau de dizer que chegava às 15h. Mentira!!!

Esse shuttle foi bom porque era um mini bus, e não uma van especificamente, então eram assentos com apoios de cabeça. Deu para dormir melhor!

Chegando me deixaram direto no Vinãs Hotel. Eu curi muito esse lugar! Comida excelente e uma piscina para relaxar pós passeio a Semuc! Paguei 75GTQ por noite em um quarto privativo.

Dia 9-Semuc Champey

Esse dia fui fazer o que todos fazem saindo de Lanquin que é ir para Semuc Champey. Tem várias opções! Semuc fica a 1 hora de Lanquin e você pode fazer tudo por conta, pagando transporte e as entradas lá mesmo. Não sei se compensa muito!

Eu preferi pagar o famoso tour que todos as hospedagens vendem. Foi 175GTQ e incluía tudo, inclusive guia(que não é tão necessário assim).

O tour começa às 9h. Pegam no hotel e te colocam na parte de trás de uma caminhonete, muitas vezes em pé mesmo! A entrada do parque é o hotel El Portal de Champey(alguns se hospedam lá).

Chegando lá encontramos o guia que pede para você já reservar o quer quer comer no almoço às 13h. Eu paguei 50 GTQ em uma carne grelhada.

Caminhamos por uma trilha e entramos no parque(no tour a entrada é incluída, mas custa 50GTQ para quem for por conta). A primeira parte consiste numa trilha leve de 45 minutos até o mirante com a foto clássica, depois descemos e nadamos por 1:30h até dar 13 h, horário da volta para o almoço no hotel El Portal.

A tarde é hora de ir para as cavernas! Esse é um passeio muito legal mas CUIDADO achei um pouco perigoso algumas partes e não é fácil para todos. Você vai com uma vela em uma mão para poder enxergar. Eu  fui com a gopro com pau de selfie na outra mão(imagina!!!fiquei sem apoio nenhum para subir as pedras e degraus da caverna, porque estava com as 2 mão ocupadas e guia nem me alertou).Não valeu a pena ter levado! Não tirei foto nenhuma boa lá dentro.

Tem vários acessos um pouco complicados dentro da caverna e tem muita água. Para quem não sabe nadar muito é bom ir de colete. Tem uma parte que pula também de uma pedra bem alta! É divertido e diferente! Curti muito, mas tem correnteza também dentro da caverna e dependendo do dia pode ser um pouco mais forte.

Depois disso é hora de relaxar no tubbing. essa parte dura uns 20 minutos. Às 16h já estávamos de volta a entrada no hotel El Portal. Voltamos todos de caminhonete para Lanquin e aí fui aproveitar a piscina do Viñas Hotel.









Dia 10-Lanquin-Flores

Mais um dia longo de deslocamento na Guatemala. Saí 8h e cheguei 17h em Flores. Esse era muito pior que o transfer de Pana a Lanquin porque não tinha apoio da cabeça e era uma mini van. A estrada é um pouco melhor que a outra, mas mesmo assim demora muito também para chegar. Comprei esse transfer no Viñas Hotel(que me hospedei em Lanquin) por 140 GTQ.

Chegando em Flores tive que sacar dinheiro.Tem uma taxa de 31GTQ por saque na Guatemala.Quem puder levar toda a quantidade em dólares é melhor! Euros não estava compensando tanto, pois não estavam pagando bem!

Dia 11-Flores-Tikal

Fiquei aqui na pior hospedagem da viagem depois vou explicar. Chama Hostal San Miguel.NÃO RECOMENDO! CUIDADO COM ESSE LUGAR!

Esse hostal não era especificamente na ilha de Flores, mas sim em San Miguel, do outro lado  da cidade. Para chegar lá, tinha que pegar barco, que custa 5GTQ (eles falam que pagam o translado ida e volta mas é mentira!). Algumas vezes pedem o barco do próprio hostal e outras não! De Flores para San Miguel se quiser o barco próprio do hostal tem que ligar para eles. Isso é algo que ninguém tem paciência de fazer!

Esse dia fui fazer o que todos fazem em Flores, ir as maiores ruínas maias da America central. O complexo de Tikal. Eu comprei no próprio hostal por 80GTQ o transporte ida e volta sem guia. Demora 1 hora para chegar na entrada do parque. Lá tem um banco para comprarmos o ingresso por 150GTQS. Aceitam somente moeda local.

O complexo é enorme, mas eu sinceramente não vi necessidade de ficar tanto tempo porque tudo se repete, e o principal você acaba vendo no período da manhã. Eu cheguei 9hs e sái de lá 15h, mas confesso que no final já estava enrolando não queria mais andar hahahahah e acabei saindo 13:30h para almoçar na entrada em um dos restaurantes. Foi 60 GTQ um prato com frango grelhado.







Dia 12-Flores

Já tinha feito o principal passeio de Flores, que era conhecer Tikal, mas curti tanto a ilha que resolvi ficar mais tempo. Eu tinha 2 opções,ou eu saía esse dia 9h para a capital Guate e chegava por volta das 17h, ou eu saía a noite e chegava no outro dia de manhã para pegar meu vôo às 11:20h. Optei pela segunda opção e não foi boa!

Nesse dia decidi então ir trocar dinheiro no banco em Santa Helena. Na Ilha de Flores há somente caixas eletrônicos e eu não queria sacar, mas sim trocar!

Para chegar em Santa Helena dá para ir a pé mesmo. É só atravessar a ponte que liga a ilha de Flores,mas quem quiser tem tuk tuk também fazendo a travessia. Aproveitei para comer no shopping que tem logo na entrada de Santa Helena e fiquei o resto do dia nadando em frente ao meu Hostal em San Miguel.

As 21h saí de barco de San Miguel para Flores, porque o dono do hostal disse que eu poderia esperar o ônibus para Guate na entrada da cidade, mas ele vendeu como se fosse ônibus as 22h, porém os ônibus saem as 21h. Daí começaram todos os meus problemas!

Deu 22:20h e não passou ônibus nenhum! Foi o perrengue da viagem. Tive que pedir ajuda a uns policias e uns locais. Um deles com boa vontade me levou diretamente até a rodoviária de Santa Helena de onde partem os ônibus, mas todos já tinham saído.

Só que eu tinha que ir obrigatoriamente naquele dia porque meu vôo para o Brasil partiria no outro dia as 11:20h. O prometido pelo dono do hostal é que eu sairia as 22h e chegaria as 6h em Guate, dái eu teria tempo de sobra para chegar ao aeroporto.
Cheguei então na rodoviária de Santa Helena e vendo meu desespero por ir naquele dia, um dos vendedores do guichê resolveu ligar para um ônibus que tinha sáido há 15 minutos e para minha sorte esse ônibus ficou em uma rodovia me esperando. Paguei 70GTQ e um taxi me levou voando até lá.

Chegando no ônibus, paguei 130 GTQ(já tinha pago 250 GTQ para o dono da pousada mas perdi o dinheiro). Para não acabar o perrengue, NÃO TINHA LUGAR PARA SENTAR DENTRO DO ÔNIBUS. Fiquei em pé e perguntei para o cobrador que horas alguém liberaria um lugar. Ele me respondeu “ daqui 30 minutos alguém desce e você senta”. Isso eram  23h, mas eu só fui sentar ás 3h.Passei muito frio dentro do ônibus também!

Dia 13-Cidade da Guatemala

Por sorte 6:30h cheguei em Guate(que não me pareceu ser uma cidade tão ruim como falaram, devia ter ficado uma noite lá), mas para não terminar o perrengue ESTAVA UM TRÂNSITO ABSURDO.Ficamos 2 horas no engarrafamento, mas consegui chegar a tempo de pegar o vôo.

Gostei muito do país apesar do perrengue que passei no final! Recomendo exatamente essas quantidade de dias do meu roteiro para fazer tudo com calma.Tem atrações para todos os gostos. Não me senti inseguro nesses locais que fui, mas também não fiquei dando bobeira a noite.

Flores,Panajachel,San Pedro e Antigua dá para andar tranquilamente a pé nas ruas mesmo a noite. Talvez só Guate tenha mesmo algumas áreas mais violentas!

Esse é um artigo em forma de relato, referente a uma viagem feita em 2018. Para mais informações e dicas acesse meu instagram @drdiegoviajando .

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Dr. Diego Viajando

Posts Relacionados

Onde comer na Bela Vista?

Bela Vista é um distrito situado na região central do município de São Paulo, que abrange os bairros do Morro dos Ingleses e Bixiga. É

Onde comer em Perdizes?

Perdizes é um distrito nobre de São Paulo que reúne os bairros de Perdizes, Vila Pompéia, Vila Anglo Brasileira, Sumaré e Pacaembu. Assim como outras

O que fazer na Cidade do Cabo?

A Cidade do Cabo (Cape Town em inglês) é uma das cidades preferidas dos brasileiros. Além de ser muito bonita, possui tantas atrações, que fica